Pesquisar na Zorba

PRA MELAR A ZORBA: DJ CREMOSO

PRA MELAR A ZORBA: DJ CREMOSO
A Maionese do Brega

Sílvio Santos Soviético? Oieeeew!

Sílvio Santos Soviético? Oieeeew!
Trololololololololololololoooooooo!

A Volta do Mela Zorba e do Zorba!

A Volta do Mela Zorba e do Zorba!
O Pinto voltou a crescer!

Relembre: Elas Preferem o Zorba

Relembre:  Elas Preferem o Zorba
Fran, ex-BBB

VERSÃO BRASILEIRA

terça-feira, 30 de junho de 2009


Em futuro não tão distante, o diploma universitário não vale mais nada. A pós-graduação passou a ser exigida para os serviços de obras e domésticos. O mestrado e o doutorado não é uma garantia certa para um emprego decente.

Enquanto os humanos enfrentam uma guerra para a qualificação profissional, as máquinas assumem o controle dos cargos de chefia em todo o planeta. Para conseguir um trabalho, você deverá enfrentar O Empregador do Futuro!

Desta vez, os universitários fumarão, digo, lutarão pesado contra os ciborgues.

Estrelando: Roberto Justus como o Empregador do Futuro e Patropi como o líder universitário John Corno.
Direção: McDonalds
Dos mesmos roteiristas de "O Aprendiz - Universitário".

MAISA EM HOMENAGEM À MJ

Não foi "só" o Globo Repórter, Fantástico, Domingão do Faustão, Jornal Hoje, Jornal Nacional, Jornal da Globo, Jornal do SBT, SBT Repórter, Hoje em Dia, A Fazendam, CQC e outra penca de programas que fizeram uma homenagem à Michael Jackson.

O Sábado Animado, na figura da apresentadora Maisa, também entrou na onda de reverência ao Rei do Pop. Em sua palavras, a anã da Terra de Willow imita o "Maca Jéquisa". O resultado é, no mínimo, estranho... Parece uma barata egípcia que levou uma borrifada de Baygon...



Zambumafú pra tu!

MICHAEL JACKSON INSTRUMENTAL

sábado, 27 de junho de 2009

Não é menosprezando o enorme talento vocal do eterno astro Michael Jackson, mas os samples das músicas do Rei do POP são simplesmente demais.

A maioria deles foi feito ao lado do Ás da black music Quincy Jones.

Tomei a liberdade de pegar as partes que eu mais gostava de algumas músicas de MJ e deixá-las instrumentais. A primeira é "Thriller", cuja parte selecionada foi a da dancinha dos zumbis. E a outra é "Beat It", com a introdução e o sensacional solo de guitarra. No caso dessa última, não resisti e deixei Michael soltar a voz no final.

Confiram:

Michael Jackson - Thriller Instrumental (Léo Peixe edit)


Michael Jackson - Beat It Instrumental (Léo Peixe edit)

PRA MELAR A ZORBA II - A RESPOSTA

Sábado passado, as meninas da Banda Top 10 tiraram onda. Mas isso acabou!

Em resposta, o MC Léozinho do Recife lançou "Quem Tira Onda É Nós".

Pra curtir a música, agarre a(o) sua(seu) nêga(nêgo), acoxe e réle bastante que sábado tem a noite oficial do Mela Zorba!

O DIA EM QUE CONHECI MICHAEL JACKSON

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Curiosa essa relação entre fã e ídolo. Um cara que mora bem longe da gente, nem sabe que existimos e nós aqui torcendo por ele.

Sou um cara de bastante ídolos durante minha vida. Principalmente na minha infância. E hoje é o dia que perdi um deles...

Entre Indiana Jones, Ferris Bueller, Bozo, He-Man, estava Michael Jackson.

A música contagiante somada aos passos exclusivos mais os vídeos repletos de efeitos especiais tinham como resultado um hipnótico espectáculo audiovisual. Isso para um garoto de oito / nove anos era uma euforia!

Lembro o meu primeiro contato com o Rei do Pop. Eu tinha uns quatro/cinco anos quando escutava "Beat It" no rádio. Vivia repetindo o refrão em versão "aportuguesada". E era "pirê" pra lá, "pirê" pra cá.

A carteirinha de fã viria anos mais tarde após o lançamento do álbum "Bad". Meu irmão mais velho tinha ganhado o disco do meu pai. Em 1988, um ano após "Bad" chegar às lojas e o vinil do meu irmão estacionar na estante, meu pai trouxe um vídeo fantástico chamado "Moonwalker".

Assisti e reassiti o VHS inúmeras vezes no meu vídeocassete Sharp! A minha parte preferida era a da música "Smooth Criminal", em que MJ usava uma roupa estilo década de 40 toda branca e botava todos do bar "barra pesada" para dançar.

A música não saia da minha cabeça e lá ia eu cantando em versão brasileira "ene-ene-ôquê" quando meu irmão disse:

- Essa música tem no meu disco!

Parei de cantar e pedi para ele me mostrar o LP. E lá estava Michael em sua roupa preta com o título do disco "pixado" na capa branca. Para minha alegria, ganhei o vinil do meu irmão e não parava de escutar.

Em 1991, cheguei até a imitar, junto com meus amigos, o astro Pop nos 15 anos da minha irmã! Vexame, mas paramos a festa e a galera aplaudia! E nesse mesmo ano, em novembro, saia o álbum duplo "Dangerous" com direito à clipe de "Black or White" exibido em horário nobre pelo Fantástico da Rede Globo!

Adivinha qual seria o meu presente de natal? Na época, eu morava em Brasília e fui com minha família para o shopping Conjunto Nacional em busca do tal disco! Escutei e reescutei do começo ao fim!

Daí começou a busca por vídeoclipes e LP's antigos. A coleção aumentou quando fui morar no Rio de Janeiro e conheci uma galera tão doida quanto eu!

Um amigo tinha uns discos antigos raríssimos de MJ e me cedeu. Mas a loucura não estava aí! Organizei um grupo de grandes (e inesquecíveis) amigos do peito e passamos a fazer apresentações no condomínio onde morávamos caracterizados como o cantor dançarino.

Mico enorme, né? Mas a gente se divertia e agradava aos outros também! A pracinha ficava cheia para ver os malucos dançando! Saudades dessa época e dos amigos que fizeram parte dela.

Assim como a minha velha infância, a vida do grande artista Michael Jackson ficou para trás. Mas tenho certeza que seu legado será levado nos corações, ouvidos e olhos das gerações de seus admiradores.

MJ podia não saber quem eram seus fãs, mas os fãs sabiam quem era MJ. E isso bastava.

PRA MELAR A ZORBA

sábado, 20 de junho de 2009

Sábado a noite é o dia oficial do Mela Zorba. Forró, balada, barzinhos. A noitada desta data que inicia o final de semana tem como quase uma regra ficar fora de casa.

Para aqueles que preferem a solidão do PC, a companhia de amigos virtuais e dançar escondido no quarto trancado, trago-lhes uma música tipicamente dos melhores bregas Mela Zorba de Pernambuco.

Som na caixa, DJ! Peraí, o DJ sou eu! Então, segura essa: "Banda Top 10 - Quem Bota Quente é Eu".



Sábado que vem tem a resposta para essa música...

JORNALISTA NÃO VALE NADA

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Numa atitude no mínimo lamentável, o Supremo Tribunal Federal retirou a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão de jornalista.

Brincadeira, não? Segundo Gilmar Mendes, presidente do STF, "a formação específica em cursos de jornalismo não é meio idôneo para evitar eventuais riscos à coletividade ou danos a terceiros”.

Palavras bonitas para falar que jornalistas não podem errar! O que dizer, então, da decisão de vossa excelência e vossos ministros? E os nossos queridos políticos mensaleiros e juízes lalaus?

O absurdo continua na seguinte comparação do doutor Mendes de um jornalista com um chefe de cozinha:

"Um excelente chefe de cozinha poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima estarmos a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área"

É pra gargalhar! Um analfabeto sabe cozinhar muito bem, mas certamente ele não saberá escrever uma simples nota.

Agora me diz, comparar a forma de se fazer notícias com uma refeição? É como equiparar os juízes com um marceneiro. Ambos usam martelo, com a diferença de que o marceneiro sabe o que fazer com ele.

Aos amigos jornalistas, nossos quatro anos de sacrificios financeiros, físicos e mentais não valeram de nada. Aí vem o chato e diz: "mas e o conhecimento adquirido? Não valeu?". Valeu, mas agora não vale mais!

Com licença que vou pegar o meu "valioso" diploma e enrolar junto com o papel higiênico...

ELAS PREFEREM O ZORBA: FRAN EX-BBB

terça-feira, 16 de junho de 2009



Na sua boca eu viro fruta! Chupa que é de uva!

SEM ASSUNTO

"Ando meio desligado. Já nem sinto meus pés nos chão".

O trecho da música "Ando Meio Desligado", da banda Pato Fu, resume bem o meu estado de espírito atualmente.

Despluguei-me da TV. Não tava mais aguentando ver o tempo passando através deste cubo do diabo.

Despluguei-me de algumas coisas da minha vida. Algumas delas eu tenho que recuperar o tempo perdido.

Despluguei-me do Mela Zorba. Nunca fiquei tanto tempo sem atualizar esta joça!

O primeiro sinal disso é quando o videogame começa a ficar mais interessante que outras coisas... Maldito "Prince of Persia - Warrior Within".

Ando mais introspectivo. Pensando em o que fazer da minha vida.

Hoje, vim conversando com um amigo dos tempos de facul que (novamente) me fez refletir. Acho q encontrei mais um possível caminho.

FRASE "ANTA"LÓGICA

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Desta vez, a pérola veio do filme trash setentista "O Império das Formigas Gigantes", clássico da extinta Sessão das Dez (que sempre começava à meia-noite) no SBT.

A frase, na verdade, é uma cantada de mal gosto feita (pasmem) por uma mulher!

E depois dizem que os homens são cafajestes...

Na cena em que a "maledita" frase é proferida, a tal mulher está conversando com um personagem chamado Dan, dono de um pequeno barco cuja tripulação tinha a tarada e um grupo de possíveis compradores de uma terra invadida por formigas gigantes sem-terra.

- "Dan, tem um botão solto na sua camisa. Se tiver tempo, eu tenho agulha e linha." - Margaret Ellis

MOMENTO MÁGICO

terça-feira, 2 de junho de 2009

Tenho duas sobrinhas que são como filhas para mim.

A mais nova tem 4 aninhos e é sublime observar a inocência de uma criança.

Ela estava jantando com seu habitual copo da personagem Pucca. Enquanto ela conversava com a mãe dela (minha irmã), lentamente tirei o copo da mesa e escondi.

Ao perceber que a canequinha tinha desaparecido, minha sobrinha olhou para todos daqui de casa e indagou:

- "Cadê o meu copo?"

A mãe disse q o objeto era mágico e tinha sumido sozinho.

No momento em que ela falava isso, aproveitei para colocar a Pucca no lugar.

- "Ué! Apareceu de novo!", falou a menina.

Passou-se um tempo e ela estava maravilhada por ter um copo mágico. Não parava de falar para a avó (minha mãe) sobre o assunto.

- "Mas foi seu tio que escondeu." - disse a vovó.

Ela parou, veio até meu quarto, subiu no meu colo e perguntou.

- "Titio, foi tu que escondeu o meu copo?" - disse meio desapontada.

- "Foi.", respondi

Ela parou, pensou e soltou: "Eu pensava que o copo era mágico".

Fiquei sem saber o que dizer. Foi aí que ela me perguntou: "Como tu fez para esconder o copo?"

Fitei nos olhinhos dela e disse:

- "Ah! Titio teve que fazer uma mágica para o copo sumir!"

Ela pulou dos meus braços e correu para a minha mãe.

- "Vovó, foi meu tio que pegou. Mas ele fez uma mágica pra fazer o copo sumir!"

ESCUTANDO MÚSICA

segunda-feira, 1 de junho de 2009

À tarde fiz uma coisa que não fazia há muito tempo: parar para escutar música.

Não é sentar no computador, abrir uma pasta cheia de mp3, abrir um playlist e, enquanto a música toca, navegar na internet.

Não é nada disso.

O que fiz foi realmente parar tudo, ligar o som, colocar um CD e somente escutá-lo.

É um ótimo exercício para relaxar, meditar e sentir as nuances que o interpréte passa na musicalidade.

Os CD's escolhidos foram a trilha sonora de Watchmen (com diversos artistas e não a de Tyler Bates) e o Red Album dos The Beatles.

Preciso (re)fazer isso mais vezes...

Lembrei da minha adolescência, quando passava dias ouvindo a trilha de Pulp Fiction, Led Zeppelin e outros artistas de meu gosto.

Nesses tempos atuais de consumo desenfreado, acabamos deixando passar muita coisa boa por "falta de tempo".

Mas dê um tempo a si mesmo e permita-se redescobrir as verdadeiras cores da vida.

Zambumafú pra tu!
 

2009 ·Mela Zorba by TNB